sábado, 21 de julho de 2007

A busca por indicadores de desempenho no setor público

Atualmente, na administração pública, há uma larga utilização de indicadores de desempenho, objetivando um maior controle dos resultados. Penso que há necessidade de estudos aprofundados que avaliem a eficácia destes indicadores de desempenho quando utilizados sem nenhum modelo de gestão ou planejamento estratégico para dar o suporte metodológico necessário, porque não raramente, eles são utilizados apenas para cumprimento de formalidades, muitas vezes sugeridas pelos órgãos de controle externo.
Com o intuito de contribuir para o aperfeiçoamento da gestão pública, o Tribunal de Contas da União - TCU, disponibiliza em sua página eletrônica na internet, um “Portfólio de Indicadores” que são utilizados por diversos Órgãos da administração pública. Os indicadores apresentados são oriundos de 26 órgãos governamentais que utilizam um total de 256 indicadores, classificados em 8 perspectivas, de acordo com esse gráfico que elaborei:


Notem que as quatro perspectivas que têm maior representatividade em relação à classificação dos indicadores são inspiradas conceitualmente do modelo do Balanced Scorecard (BSC), um sistema de gestão estratégica, que foi desenvolvido pelos pesquisadores Robert Kaplan e David Norton, sendo utilizado amplamente no setor privado mundial e mais recentemente, influenciando fortemente a elaboração de indicadores no setor público, como percebemos nesse portfólio disponibilizado no site do TCU. No comparativo elaborado abaixo percebemos essa influência:

Perspectivas no Setor Público..............>Perspectivas do BSC
Processos Finalísticos...........................>Processos Internos
Pessoas..............................................>Aprendizagem e Crescimento
Orçamento e Finanças...........................>Financeira
Cidadãos/Sociedade/Clientes..................>Clientes
Será que esses modimos gerenciais, oriundos do setor privado, que na essência buscam reduzir custos, atrair novos clientes, maximizar lucros, etc., ajudam realmente na busca da efetividade do setor público? Será que a Administração Pública não deveria buscar soluções que atendessem às suas características específicas , que ao invés de lucros, busca o atendimento das demandas sociais?